Dois carros bateram e acertaram o meu, quem deve ser responsabilizado?

Imagine a seguinte situação!

Seu veículo está estacionado em local permitido à margem da via pública e quando você menos espera dois veículos colidem e devido à intensidade da batida um deles acaba acertando o seu carro, causando diversos prejuízos.

Nessa situação, onde não se sabe de quem é a culpa pelo acidente de trânsito, tendo em vista que as duas partes discordam dos fatos ocorridos, de quem você poderia cobrar os danos causados ao seu veículo?

Nota-se que este acontecimento não é algo muito distante de ocorrer, na verdade é algo recorrente, porém, muitas vezes o terceiro envolvido encontra dificuldades em agir e tomar as decisões corretas.

Pensando nisso, elaboramos este artigo a fim de esclarecer alguns pontos sobre esse tema. Acompanhe a seguir.

Como funciona a Responsabilidade Solidária?

Diante do exemplo apresentado, a maior dúvida do terceiro envolvido é: de quem eu cobro os danos causados no meu veículo?

Em uma situação onde os condutores dos dois veículos não se entendem sobre de quem é a culpa e com quem ficará a responsabilidade de arcar com os danos causados, concorda que aguardar uma decisão judicial sobre de quem é a culpa e depois cobrar os valores do responsabilizado pode demorar muito?

Afinal, após a justiça determinar um culpado, é bem provável que você tenha que ingressar com uma ação de cobrança também, ou seja, talvez tenha que aguardar os trâmites de duas ações judiciais.

No entanto, frente a esse panorama, temos o instituto da responsabilidade solidária, conforme o previsto no artigo 275 e 942, do Código Civil Brasileiro. Desse modo, o dispositivo legal afirma que quando o dano possui mais de um causador, é necessário olhar para os devedores como se fossem um só, assim dispõe:

Art. 275. O credor tem direito a exigir e receber de um ou de alguns dos devedores, parcial ou totalmente, a dívida comum; se o pagamento tiver sido parcial, todos os demais devedores continuam obrigados solidariamente pelo resto.

Parágrafo único. Não importará renúncia da solidariedade a propositura de ação pelo credor contra um ou alguns dos devedores.

Art. 942. Os bens do responsável pela ofensa ou violação do direito de outrem ficam sujeitos à reparação do dano causado; e, se a ofensa tiver mais de um autor, todos responderão solidariamente pela reparação.

Com base nos dispositivos acima, resta claro que o terceiro interessado poderá ingressar com uma ação para reparação de seus danos contra qualquer um dos causadores sem ter que esperar uma definição sobre de quem é a culpa pelo acidente e os danos provocados. Após isso, surgirá uma ação interna entre os dois causadores do acidente para que se resolvam.

Dano moral e material se aplica a quem?

Nesse ponto, sabemos que ambos os condutores causadores do acidente podem responder pelo dano ao terceiro de forma solidária, ou seja, tanto os danos materiais como os morais (se for o caso).

Além dessas duas figuras, surgem outros indivíduos que podem ser responsabilizados pela reparação dos prejuízos, os proprietários dos veículos. Isto porque, em muitos casos o condutor não consta como o proprietário do veículo, e sim, uma outra pessoa.

Esta por sua vez também possui responsabilidade solidária ao permitir que outra pessoa conduza seu veículo, segundo entendimento do Superior Tribunal de Justiça.

O STJ entende como impertinente a escolha do proprietário do veículo em deixar que um terceiro conduza seu veículo. Por conta disso, ao permitir que outro utilize seu veículo, é um sinal de confiança do proprietário com o condutor, tornando-o responsável solidariamente em caso de acidente de trânsito.

Todavia, vale lembrar que o proprietário poderá ingressar com uma ação de regresso para reaver os prejuízos causados pelo condutor que estava de posse de seu veículo no momento do acidente.

O Dr. Henrique Lima se dedica de forma constante às demandas desse mercado, com a finalidade de garantir uma assessoria de nível elevado e segurança jurídica.

Ainda ficou com alguma dúvida?

Envie para nossa equipe por meio do formulário abaixo ou busque auxílio de um Advogado Especialista em Acidentes de Trânsito.


Querido leitor,

Quer saber mais sobre acidentes de trânsito? Leia o meu livro “Acidentes de Trânsito – Direitos básicos na prática”

22 pessoas leram esse artigo
Sobre o Autor

Conheça o autor H. S. Lima e seus conteúdos de Filosofia e Fé

Vamos conversar sobre esse assunto?

Preencha o formulário para que eu ou alguém de minha equipe possa entrar em contato com você.

    Exames, atestados, apólice, etc. e tudo que você acredita que possa me ajudar entender seu caso

    Ao preencher o formulário você concorda com os termos de nossa política de privacidade

    Fale comigo por E-mail ou