Justiça do MS nega apelação do INSS e mantém por unanimidade aposentadoria por invalidez para trabalhador rural

A 4ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul (TJ-DF) negou apelação do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e manteve por unanimidade a aposentadoria por invalidez para o trabalhador rural O.L.M. O benefício havia sido concedido em 1ª instância pela 1ª Vara da Comarca de Maracaju.

O INSS recorreu da primeira decisão argumentando que não há evidência que permita concluir pela existência da incapacidade total e permanente do trabalhador.

Contudo, Henrique Lima, sócio da Lima & Pegolo Advogados Associados, explica ter provado que seu cliente é  portador de artrose, espondilólise, discopatia degenerativa, escoliose, lordose e osteofitose em coluna vertebral. “Essas enfermidades o impedem de exercer sua profissão de trabalhador rural. São doenças graves, de caráter progressivo e irreversível, sendo, portanto, permanentes. Isso foi confirmado em laudo pericial”, enfatiza.

O advogado pontua que os desembargadores consideraram ainda que seu cliente pouco estudou e sempre atuou como trabalhador rural, que exige grande esforço físico, atividade para a qual se encontra incapacitado agora. “Mediante ao cenário, de um homem com praticamente nenhuma perspectiva de obter outra posição no mercado de trabalho, garantindo assim a sua sobrevivência, essa era a sentença esperada”, encerra.  

0 pessoas leram esse artigo
Sobre o Autor

Conheça o autor H. S. Lima e seus conteúdos de Filosofia e Fé

Vamos conversar sobre esse assunto?

Preencha o formulário para que eu ou alguém de minha equipe possa entrar em contato com você.

    Exames, atestados, apólice, etc. e tudo que você acredita que possa me ajudar entender seu caso

    Ao preencher o formulário você concorda com os termos de nossa política de privacidade

    Fale comigo por E-mail ou