Carteiro acidentado no trabalho recupera na Justiça benefício cortado pelo INSS

A 6ª Vara Cível de Campo Grande (MS) condenou o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), em 24 de junho de 2022, a pagar o auxílio acidente de forma retroativa, a contar de março de 2013, ao carteiro D.C.S., que sofreu um acidente de bicicleta em 2010, enquanto trabalhava, lesionando gravemente o joelho esquerdo.

A decisão, assinada pelo juiz de Direito, estabelece que as parcelas devem ser corrigidas monetariamente pelo IPCA-E e acrescidas de juros de mora de 1% ao mês, conforme legislação vigente.

Por conta do acidente, o trabalhador foi diagnosticado com entorse não especificada, outras artroses, ruptura de ligamentos ao nível do tornozelo e fratura de osso do metatarso. Ele foi afastado e recebeu auxílio doença até março de 2013, quando foi cessado.

Advogado do caso, Henrique Lima, sócio da Lima & Pegolo Advogados Associados, explicou que, em laudo pericial, foi constatado que seu cliente possui incapacidade parcial e permanente, por isso, foi necessário restabelecer e ajustar o benefício recebido pelo mesmo do INSS. “É mais normal do que se imagina, situações como essas, em que trabalhadores acidentados perdem seus benefícios e precisam recorrer à Justiça para tê-los novamente”, completou. 

Acrescentou ainda que, na sentença, por se ter a certeza do direito, ficou definido a implementação imediata também do pagamento do vale-refeição, considerando que a verba é indispensável à própria sobrevivência do segurado.

0 pessoas leram esse artigo
Sobre o Autor

Conheça o autor H. S. Lima e seus conteúdos de Filosofia e Fé

Vamos conversar sobre esse assunto?

Preencha o formulário para que eu ou alguém de minha equipe possa entrar em contato com você.

    Exames, atestados, apólice, etc. e tudo que você acredita que possa me ajudar entender seu caso

    Ao preencher o formulário você concorda com os termos de nossa política de privacidade

    Fale comigo por E-mail ou