Provérbios para Executivos (1): busque sabedoria

Estes provérbios nos ajudam a dar valor à sabedoria e aos bons conselhos e a entender os pensamentos mais profundos. Eles nos ensinam a vivermos de maneira inteligente e a sermos corretos, justos e honestos. Podem também tornar sábia uma pessoa sem experiência e ensinar os moços a serem ajuizados. Estes provérbios aumentam a sabedoria dos sábios e orientam os instruídos, fazendo que entendam o significado escondido dos provérbios e dos ditados e compreendam os mistérios que os estudiosos procuram explicar. (Pv. 1:2-6)

Várias qualidades podem ser apontadas como inerentes a alguém dotado de sabedoria. Sem descartar outros pontos de vista, sábio é quem consegue fazer as melhores escolhas profissionais, pessoais e familiares, acertando no conteúdo, na forma, no momento e na medida, e mesmo quando se encontra em condições adversas ou, então, está diante de cenários não tão claros, consegue analisar corretamente todas variáveis e fazer um prognóstico sensato dos prováveis desdobramentos

Na vida profissional a tomada de decisões é uma constante e tem muita importância, porque dependendo do cargo as escolhas impactarão dezenas, centenas ou, quem sabe, milhares de pessoas e de famílias. E mesmo se não estiver num cargo de liderança, sempre haverá necessidade de fazer escolhas.

Chama a atenção o fato de que em algumas situações é fácil perceber o impacto que uma decisão terá e para onde ela levará. Porém, em outros momentos, isso é tão sutil que pode parecer sem relevância aquilo que faremos. Mas, não se engane, toda escolha constrói uma estrada.

Não concordo com opiniões que colocam em lados opostos a sabedoria e a qualificação formal. Não se trata de uma competição, mas de uma complementariedade. É possível ter as duas, como também ter apenas uma ou até mesmo nenhuma delas. Mas o melhor dos cenários é aliar sabedoria com sólido conhecimento técnico, isso facilita, acelera e respalda a tomada de decisões, especialmente na vida profissional.

Apesar de algumas pessoas aparentemente nascerem com o dom da sabedoria, trata-se de um talento que pode ser desenvolvido, mas que exige ser buscado com persistência e sinceridade.

Então, surge a indagação: como “buscar” a sabedoria? Isso pode ser respondido de muitas maneiras e talvez em boa parte delas haverá um pouco de razão.

Acredito que o envelhecimento é algo que pode contribuir para a formação de um sábio. Mas é obvio que não se trata de uma regra, pois do mesmo jeito que é fácil encontrar idosos “cabeças duras” e ignorantes, também há os jovens dotados de sabedoria. Nesse aspecto, o mais importante não é a idade por si só, mas a quantidade e a qualidade das experiências vividas.

Algumas vezes participamos de atividades que inicialmente não fazem muito sentido, mas acontece de depois essa experiência acumulada se mostrar bastante útil num outro contexto. Por isso, é importante se colocar em situações que proporcionem aprendizados, mesmo que num primeiro momento a utilidade não seja tão clara, pois assim expandindo nossas habilidades e conhecimento.

Ter uma postura de análise e de reflexão perante as várias dimensões da vida também é imprescindível para a “formação de um sábio”. É preciso ser alguém que observa e que reflete sobre o que está acontecendo tanto na própria vida como também ao redor, com os amigos, com os familiares, com os colegas de trabalho e com a sociedade.

Dizem que o mais sábio é aquele que aprende com os erros alheios, sem precisar cometê-los. Eu concordo.

Certa vez acompanhei bem de perto o rompimento de uma parceria que estava se mostrando vencedora. Entretanto, por questões de ego, um deles, que se considerava a “vitrine” do negócio, resolveu romper, se afastar e, para piorar, ainda falou bobagens ao sair. O outro permaneceu quieto, falando pouco sobre o assunto e dizia que, de sua parte, seria o mais flexível possível, para evitar romper o laço que os unia, mesmo que passassem a caminhar distante.

Passado o tempo, aquele que se deixara mover por sentimentos inadequados e não porque tinha um propósito genuinamente alicerçado em sentimentos, ideais ou propósitos adequados, passou a enfrentar muitos problemas e, para resumir bem a história, acabou deixando o empreendimento que havia começado, pois os problemas se multiplicaram e ficou insustentável sua permanência.

Em alguns momentos experimentei semelhante vontade separatista, mas me lembrava desse episódio e então fazia uma autorreflexão acerca do sentimento que me impulsionava. Até o momento, todas as vezes desisti do rompimento porque minha intenção não estava alicerçada no lugar certo.

Tente extrair lições das experiências que a vida proporciona. Reflita sobre o que aconteceu, além de ser saudável e ainda pode livrar de possíveis sofrimentos ou prejuízos.

A leitura de bons livros também é algo muito útil na busca pela sabedoria. Eles funcionam como um acelerador desse processo, pois proporcionam contato com grande quantidade de experiências, reais ou não, transmitidas ao longo dos séculos. Isso vale para quase todo tipo de leitura: autoajudas, biografias, históricos, livros de negócios, romances e até poesias!

Quem ousaria negar, por exemplo, que a leitura de uma obra de ficção como “Otelo, o Mouro de Veneza”, escrita por William Shakespeare, torna a pessoa mais sabia com relação ao sentimento de ciúmes e seus derivados?  Schopenhauer, filósofo alemão, certa vez disse que um livro é a “quintessência de um espírito” e que, por isso, “até os escritos de uma cabeça mediana podem ser instrutivos…”.

Ora, se até livros medianos podem ser úteis, que dizer dos livros sagrados que compõe a bíblia? Não apenas do livro de Provérbios, mas de vários outros é possível receber uma instrução que ultrapassa o entendimento racional, penetra o âmago e gera transformação. É nela que estão grandes segredos para ser sábio. Por exemplo, que a primeira exigência é temer a Deus, o Senhor, e que é dEle que procedem toda sabedoria e todo conhecimento.

58 pessoas leram esse artigo
Sobre o autor

Henrique Lima

Sobre o autor

Henrique Lima

Henrique Lima é advogado atuante em defesas de servidores públicos civis e militares, de trabalhadores da iniciativa privada, de profissionais liberais, de associações, sindicatos e empresas em temas envolvendo direito administrativo, tributário, previdenciário (INSS e RPPS), do trabalho e do consumidor.

 

É mestre em direito pela Universidade de Girona – Espanha e pós-graduado (lato sensu) em direito constitucional, direito do trabalho, civil, consumidor e família. É sócio do escritório Lima, Pegolo & Brito Advocacia (www.lpbadvocacia.com.br) que possui unidades em Curitiba-PR, Campo Grande-MS, Cuiabá-MT, Rio Brilhante-MS, Dourados-MS e Aquidauana-MS, mas atende clientes em vários Estados brasileiros.

Saiba mais sobre o autor

Vamos conversar sobre esse assunto?

Preencha o formulário para que eu ou alguém de minha equipe possa entrar em contato com você.

Exames, atestados, apólice, etc. e tudo que você acredita que possa me ajudar entender seu caso

Fale comigo por E-mail ou