04/02/2018

Superação de Traumas Psicológicos, Consenso entre Ciência e Religião

AUTOR:Henrique Lima - 194 visitas

SUPERAÇÃO DE TRAUMAS PSICOLÓGICOS, CONSENSO ENTRE CIÊNCIA E RELIGIÃO
Por Henrique Lima (www.henriquelima.com.br)

O psicólogo Júlio Peres, doutor em neurociências e comportamento e especialista em superação de traumas, em entrevista à revista Psique (edição 140), indica algumas ferramentas que a psicologia clínica utiliza para ajudar pacientes vítimas do diversos tipos de traumas psicológicos (abusos sexuais, mortes, violências, acidentes, traições, enfermidades etc.). Fiquei extremamente satisfeito em observar que a psicologia clínica, ou pelo menos uma parte dela, vale-se de procedimentos que são igualmente utilizados por igrejas cristãs em  seminários, cursos, encontros e outros momentos que são voltados para o que chamamos de “cura interior”.

Obviamente que nas igrejas há viés religioso, porém ambas as ferramentas – psicológica e religiosa – que buscam ajudar as pessoas vítimas de traumas estão fundadas em princípios semelhantes. Vejamos os pontos que mais me chamaram atenção na entrevista e no que se assemelha ao que se faz no âmbito eclesiástico:

1.    Falar a respeito do que ocorreu é o começo do tratamento, verbalizar, expressar, “colocar para fora”, abordando não apenas o episódio traumático mas também os sentimentos ruins que o acompanham é tido como fundamental. É contraindicado o silêncio. Do ponto de vista religioso podemos pensar na oração espontânea em que abrimos nosso coração perante o Criador e falamos a ele sobre tudo o que nos tem causado sofrimento, com se costuma dizer, “jogar aos pés da cruz” todo fardo;

2.    Procurar “ressignificar a dor; buscando um sentido maior para o que aconteceu e/ou uma aliança de aprendizado”. Isso tem a ver com um dos princípios da emuná (fé) segundo o qual para tudo que ocorre há uma mensagem divina, ou, nas palavras do Rabino R. S. Arush, “... a firme crença de que em tudo o que sucede ao homem há uma mensagem relacionada a sua finalidade, a sua conexão com o Criador” (No Jardim da Fé. Rabino R. S. Arush. Pág. 101).

3.    Liberação de perdão através de “um estado ampliado de consciência e a quebra do ciclo traumático através do perdão” ... “porque se liberta do sofrimento, libertando também o outro que a fez sofrer”. Para mim essa foi a mais interessante mensagem do referenciado psicólogo, Doutor Julio Peres, porque no meio religioso o perdão é a atitude chave para cura e libertação tanto do ofendido como do ofensor, havendo uma infinidade de referências bíblicas para a necessidade de perdoar, inclusive na oração modelo.

Referido pesquisador acrescenta que o tempo para superação dos traumas varia para cada pessoa, mas indica que em média em oito meses é de se esperar um resgate da qualidade de vida, porém deixa bem claro que, para alguns, poucos meses podem ser suficientes, enquanto outros necessitam anos. A resiliência de cada um frente a situações traumáticas também é muito variável e até mesmo quem é bastante “forte” diante de determinados acontecimentos pode não ser frente a outros, ou seja, a resiliência não é um pacote fechado.

Sempre que vejo os resultados da pesquisa científica se aproximando das verdades bíblicas, encho-me de alegria e de esperança numa sociedade mais justa e verdadeiramente preocupada com o bem estar das pessoas. É o que se chama de a “boa ciência”, que é toda aquela que converge com os fundamentos do Reino de Deus.
REDES SOCIAIS

COMENTÁRIOS

Todos os campos são obrigatórios

MAIS ARTIGOS

Sobre a Obra de Schopenhauer, "A arte de Escrever"

SOBRE A OBRA DE SCHOPENHAUER, “A ARTE DE ESCREVER”.   I - Arthur Schopenhauer foi um filósofo alemão que viveu entre 1788 e 1860. Costuma-se apontar que sua principal obra foi “O mundo como vontade e...

06/11/2018 LEIA MAIS

Comentários acerca da obra "Sobre a Brevidade da Vida" do filósofo Sêneca (4 a.C. a 65 d.C.)

COMENTÁRIOS ACERCA DA OBRA “SOBRE A BREVIDADE DA VIDA” DO FILÓSOFO SÊNECA (4 a.C. a 65 d.C.) Escrito por Henrique Lima (www.henriquelima.com.br)   Incrível como alguns problemas humanos continuam sendo os mesmos. Mudam a...

09/07/2018 LEIA MAIS

Poucos, Mas que Fazem Toda Diferença

POUCOS, MAS QUE FAZEM TODA DIFERENÇA Por Henrique Lima (www.henriquelima.com.br) Por várias vezes, sem muita reflexão, já repeti um pensamento comum de que “os jovens de hoje são piores do que os de ‘minha’...

16/04/2018 LEIA MAIS

Considerações Acerca da Obra "Tratado Sobre a Intolerância", de Voltaire

CONSIDERAÇÕES ACERCA DA OBRA “TRATADO SOBRE A INTOLERÂNCIA”, DE VOLTAIRE Por Henrique Lima (www.henriquelima.com.br)   Começo dizendo que é espetacularmente belo o “Tratado...

28/02/2018 LEIA MAIS

FALE COMIGO

Site desenvolvido por:

Chamar no WhatsApp